10 de março de 2010

Pergunta do dia


As praxes académicas também podem ser consideradas práticas de bullying?

Eu sei que muitas pessoas vêem esta prática como uma tradição e uma forma de integrar os caloiros na vida académica, com os mais velhos, etc. Mas não me digam que, por exemplo, rebolar no chão em plena Avenida dos Aliados, como vi hoje, são formas de integração e não de humilhação.

8 comentários:

Hysteria* disse...

Isso já vai do espírito com que encaras as coisas! Se eu te disser que com práticas dessas me diverti imenso, que fiz mts amigos e que me libertei a mim mesma podes não acreditar! Mas juro que é vdd! =) *

medeixagozar@ disse...

Hysteria,

Eu acredito que seja verdade, não precisas de jurar :P... LOL... O que acho é que deve haver limites até na maneira de falar com os caloiros... Pode ser implicância minha que nunca gostei muito de praxes desse tipo...

Bjs,
http://medeixagozar.blogspot.com/

Maria Luisa disse...

percebo o que queres dizer... também me questionei sobre o significado das praxes em dois momentos da minha vivência académica... no ano passado, quando entrei para a faculdade não entendi muito bem até que ponto toda aquela rebaldaria que aqueles veteranos mandões lideravam me ia integrar de alguma maneira... mas sinceramente acho que as praxes têm o significado que cada um quiser...só lá vai quem quer, e essa história dese conhecer imensa gente nos dias da praxe em que é verdade, mas o que interessa sao os amigos que se fazem ao longo do curso.. Por outro lado, trajei pela 1a vez no mês passado (em Direito é assim...só trajamos no 2º semestre do 2ºano) e mais uma vez fi-lo pelo espírito e nem a pensar que em setembro próximo poderei praxar..
mas é sem dúvida uma questão que tem muito espaço para reflexão...

Shell disse...

Tema giro !!

Eu já vivi duas realidades de praxe diferentes: no Porto e em Coimbra ! E sem dúvida que gostei muito mais do Porto... A praxe depende do espírito com que uma pessoa vai para lá ! E se no Porto era o verdadeiro espírito de equipa e de sacrífico, em Coimbra a praxe não passava de uma pura brincadeira muito mal organizada e que nem sequer conseguia ter metade dos alunos... No Porto ? Ninguém ousava sequer fugir à praxe ! E acho que a praxe é isso mesmo... Meio de integrar, acolher, ensinar e aprender em conjunto ! :) E depois, se alguém vai para lá com o espírito do 'Por favor, tirem-me daqui !' logicamente que não corre da melhor forma, mas quando se vai de espírito e mente aberta, prontos a fazer [ quase ] tudo e as brincadeiras mais parvas... É a loucura ! Tenho saudades dos meus tempos de caloirinha *.*

Mas isto é só a minha opinião * beijinho

Hysteria* disse...

Acho que é a tal implicância :P Algumas praxes não passam de mero teatro. Eles têm é que se aperceber disso :D *

' Claudjinha disse...

há praxes e há praxes. rebolar no chão é bullying. obrigar alguem a comer terra é bullying. por uma data de caloiros a grita,nao é. e eles sabem. eu sofri bullying e fui as praxes e sao coisas completamente diferentes...

Xaninha disse...

Avenida dos aliados????
então quer-se dizer que vocemessê é do Norte, CARAGO???
mt bem!! :)

devo dizer que nunca fui anti-praxe, mas pc faltou! A minha praxe foi a coisa mais terrível pela qual alguma vez passei!
A praxe é um meio de integraçao na faculdade! Na minha praxe humilhavam as pessoas...

na altura andava com uns complexos estupidos em relação ao rabo, então andava com uma camisola à cinta.
Obrigaram-me a tirar o casaco e a atá-lo à cabeça...
parece pc mas foi uma brutalidade para mim ver-me assim exposta em frente a todos...

mas há praxes piores...bem piores...

Scarlet_Perry disse...

Eu fui anti praxe.Continuo a achar que `e uma forma de uma cambada de anormais descarregarem as suas frustracoes. Se a ideia `e a integracao, porque nao uma festa de inicio e fim de ano, como nos EUA?