29 de abril de 2010

Sempre os mesmo a pagar


Ando irritado e não foi nenhum bicho que me mordeu. Foi, isso sim, os governantes deste país que me tiraram do sério. Já dizia a música, pactos e aliança só serve para os entreter e lhes combater o tédio. Com que então agora é para cortar nos subsídios de desemprego? Podiam optar por cortar nos rendimentos chorudos dos gestores deste país, poder podiam mas não era a mesma coisa. O povo é que irá pagar, mais uma vez, pelos erros de quem nos governa. E quem nos governa está-se a esquecer que os subsídios de desemprego é o resultado do dinheiro descontado pelos trabalhadores, em vários anos de trabalho. Aquele dinheiro é nosso, é do povo, descontado com muito esforço.

A justificação para este corte é simples, pois os desempregados ganham mais no desemprego do que a trabalhar. Volta a pergunta, podiam ajudar as empresas a aumentar o salário base, pois poder até podiam mas não era a mesma coisa. Façam assim, reduzam os ordenados dos gestores, apliquem esse dinheiro no aumento salarial dos trabalhadores deste país. É pena um lindo país como o nosso ter pessoas tão fracas. Um dia destes, coloco um cinto de explosivos à cintura, entro na Assembleia da República, mas tem de ser num dia em que lá estejam todos, e rebento comigo e com aquela merda toda.

7 comentários:

Malena disse...

E biba a rebulução, carago!
Mas não te mates por isso! Mais vale comprares uma bazuca e: pum!

Ps: Tens toda a razão! Abarbataram-se com o dinheiro e agora o povão que se lixe!

StellaMaris disse...

Há sempre dois lados na coisa...
Conheço muita gente que ficou desempregada..... por isso, receberam uma grande indeminização do patrão de acordo com os anos de casa.
Depois, inscreveram-se no centro de desemprego e começaram a receber o subsídio.
Paralelamente, arranjaram um "biscate"...
Ou seja.... estavam a receber de 3 lados, ao final do mes...

Por outro lado, há muita gente que nao quer trabalhar e vive por vontade propria a custa do subsidio de desemprego! E nao quer trabalhar...
O que é ridiculo...

Nao acho totalmente mal o que fizeram!

Ana disse...

Pois, quando eu digo coisas como estas que dizes aqui chamam-me reaccionária e por aí fora.
A verdade é que vão cortando em tudo o que diz respeito ao povinho, mas os grandes vão enchendo cada vez mais o bolso.

O subsídio de desemprego? É como tu dizes: trabalhamos e descontamos para ter direito a ele. Se é dinheiro que depois faz falta para outras coisas, não é problema nosso. O Governo que aprenda a geri-lo e não o gaste em limousines e jactos particulares.

Eu admito sem qualquer problema que, há cerca de 5 anos atrás, estive a receber subsídio de desemprego durante 1 ano e meio e a trabalhar ao mesmo tempo (e não era um biscate, era a tempo inteiro e com um bom ordenado). E não me arrependo nem me vou arrepender nunca de o ter feito. Trabalhei que nem uma doida durante anos e descontei muito dinheirinho para ter direito àquele subsídio e fiz questão de o aproveitar até à ultima gota.

S* disse...

Excluindo a tua lamentável morte, não se perdia grande merda.

Fresco_e_Fofo disse...

Não, o que há é muita gente que nunca fez nada na vida, nem teve de sustentar a família com um mísero salário e que depois vai na cantiga que os socas e os coelhos lhe ensinaram.
É verdade, o subsídio de desemprego é de quem o descontou, não é do governo nem do PSD. E tem servido para subsidiar muito empresário falido, daqueles que não se cansam de gritar que querem menos Estado, mas que à primeira rajada de vento, ao primeiro aguaceiro, estendem logo a mão ao Estado.
O mal de Portugal (e da Europa e do mundo globalizado), é os governos serem uns meros fantoches nas mãos do empresários e continuarem a privatizar o que dá lucro e nacionalizar o que dá prejuízo.
Um dia destes não se admirem se os portugueses começarem a atacar escolas e infantários com facas compradas na loja do chinês.

izzie disse...

Não rebentes contigo... deixa lá o cinto num cantinho, eles já estão a dormir e já, nem dão por ela...
Sais de fininho e ficamos todos cá fora a apreciar o fogo de artifício...
Que achas?

É que, a mim, ias fazer falta... :)

E dizendo como dizia o Herman: Oh Oh!

Beijinho,

Martini Bianco disse...

Conta comigo!