17 de abril de 2010

Por onde tenho andado



Hoje quando acordei, e por mais estranho que pareça, inspirei silêncio, entrei num estado de sossego e ausência de ruído. Vejo o meu reflexo no vidro e algo me puxa para fora deste mundo e por breves instantes apercebo-me que nos últimos anos não tenho ido pelo caminho habitual, tenho simplesmente ido por atalhos e que não faço nada como as outras pessoas.

7 comentários:

Girl in the Clouds disse...

Está muito bom o texto. Bom fim-de-semana!!

Malena disse...

E porque não? Nem sempre os caminhos principais nos levam mais depressa ao lugar certo!

Alexandre disse...

Bem descrito e muito escrito ;)


bom fim de semana!

Lu! disse...

Sinto-me exactamente assim...

Scarlet_Perry disse...

Desde que esses atalhos te tenham levado ao um destino chamado felicidade...

Fresco_e_Fofo disse...

Por vezes os atalhos encurtam caminhos. Outras vezes mostram-nos paisagens que nunca veríamos se fossemos pela auto-estrada.
Eu gosto de atalhos.
Tenho o meu teclado cheio deles lol.

izzie disse...

Somos dois...
O que interessa é que é caminho... e quem o faz, caminha, sente... somos nós e não alguém por nós, ou nós por alguém.

(Ok... demasiadas voltas numa mesma frase, mas acho que percebeste onde quero chegar...)

Beijinho,